Sentimento de Amor

Posted on

Os teus olhos refletem o amor

E a pureza dos teus sentimentos,

Na certeza os teus lábios no primor

Se envolvem nos carentes momentos.

É ternura, é sútil sutileza o teu carinho

A envolver-me em teus braços lentamente,

É a flor retirada os espinhos

É a rosa a amar veemente.

Não desvie o pensamento de mim

Ó amada afetiva doçura,

Se enrosque como as rosas aos jasmins

No jardim de tremenda loucura.

Me aqueça nesses versos com emoção

Me invada o corpo e retira a calma,

Me resgata de vez o coração

No agitado movimento da minh’alma.

Autor Bessa de Carvalho

Direitos autorais reservados a Bessa de Carvalho

LER

Posted on

Ler é caminhar nas nuvens da emoção,

É pisar as letras numa estrelinha,

É beijar de leve o coração,

É tocar as flores da amarelinha.

Ler é correr os olhos por muitos versos,

Que nos falam de amores por mil maneiras,

Sentir Deus num sutil olhar discreto

E a Sua voz no chuá das corredeiras.

Ler é tocar com os dedos os poemas,

Navegar no barco da fantasia,

Bagunçar por dentro a serenidade,

Escutar o vibrar dos fonemas,

Abraçar de vez a poesia,

Que nos fala sempre uma verdade.

Autor Bessa de Carvalho

Direitos autorais reservados a Bessa de Carvalho

Menino Matreiro

Posted on

Era uma vez um menino sabido que morava na área rural, num sítio com matagal, onde grilos o tempo todo conversavam com os mosquitos.

Êta menino matreiro esperto que ele só, de dia enrolava a mãe, dizendo vou estudar, mas dava na corda um nó. Corria feito maluco atrás da sombra do avião, os braços abertos em zig-zag, fingiam pegar com as mãos.

Êta menino matreiro esperto que ele só, pescava os vaga-lumes no pote de mel cipó. No rio com os amiguinhos, nadava que nem um peixe, faltava a aula do professor com seu amigo giló.

Êta menino matreiro esperto que ele só, falava para o seu pai todo mês, que na aula de matemática os números se rebelaram, ali poucos ficaram e com as letras se juntaram fugindo do português.Um dia a mãe descobriu, que aquele menino danado, agora até malcriado mentia que “dava dó”! Nossa foi um “Deus nos acuda”, a mãe que era da roça e não gostava de troça, com a vara de marmelo, tingida de verde e amarelo, cantou em dó menor.

Êta menino matreiro esperto como ele só!

Dedico este pequeno texto à minha querida mãe, que nos idos da minha infância ensinou-me, da sua maneira singela, ser um homem de bem.

Autor Bessa de Carvalho

Direitos autorais reservados a Bessa de Carvalho

Escrever

Posted on

Em meus escritos narro mensagens de amor e

fraternidade, que mexem com emoções, transformam

humores, tranquilizam os corações e despertam a curiosidade.

Escrever é a arte de expressar as ideias em palavras e

levar o leitor a viajar em seus pensamentos e vivenciar

histórias inimagináveis a todo momento.

Criar emoções onde não existem; amores impossíveis;

fazer os livros falarem e cães chorarem; coelhos contarem

histórias e sapos suas íntimas memórias.

Pensar e pensar no infinito como se Deus nos esperasse

para um café e um bate-papo amigável.

Falar sobre os amores que vem e que vão, deixando as

marcas impressas no coração.

Escrever o diálogo de duas botas famosas que são uma

graça, mas envelheceram e abandonadas choram juntas no

banco da praça.

É muito mais que expressar ideias, é um ato de

fé, um conluio com o Universo.

É amar a poesia como se fosse a vida toda a única

mulher e a crônica uma amante desesperada que não sabia da existência

da prosa com outra amada.

Escrever é sentir-se vivo e útil para escrever a vida em lágrimas ou sorrisos e

no final de tudo isso, ir do inferno ao paraíso.

Autor Bessa de Carvalho

Direitos autorais reservados a Bessa de Carvalho

Eu Sou a Terra

Posted on

Eu sou a Terra amiga, cheia de esperança e cores.

Gosto dos meus rios que enriquecem os plantios.

Costumo dar legumes e frutas; também flores para inspirar os diversos amores.

Sou a Terra, nos meus campos os girassóis giram, giram, buscando a vida e o sol nem com toda a sua beleza, vive sem a minha natureza.

Amo todas as montanhas que sombreiam os vilarejos.

Amo intensamente os meus segredos cujo tempo os revela.

Sou amante sincera do vento, que me carrega no colo e a todo o momento, me desfaz e descabela.

Sou a Terra dos vulcões que explodem em ira, quando não mais suportam a sina de viverem sem pulmões.

Embelezo os meus traços com as nuvens do céu, sou a Terra onde os lírios distribuem o mel e as abelhas polinizam aos milhões.

Levo aos povos o quente e o frio do pensamento Divino, que permeia a minha existência.

Sou a Terra mãe a aguardar pacientemente o seu retorno para os meus braços.

Vem! Vem cuidar-me, pois sufoco nesse laço de poluição onde a minha garganta queima e nem os fonemas aguentam mais tanta ingratidão.

Vem libertar-me da pobreza, da miséria e da fome, que em muitos lugares dentro de mim, ainda existem.

Porém, vem com ternura, pois somente ela embebece o meu coração e faz-me amar-te cada vez mais, mesmo que odeie e me deixe triste.

Não me abandoe a sucumbir neste mar de solidão.

Vem cultivar enormes campos, distribuir os alimentos aos famintos; vem plantar mais árvores, cuidar dos meus animais e nunca se esqueça de que sempre quero mais do seu amor… do seu amor quero muito mais!

Sou a mãe e do passado espero o seu presente, porque se não cuidar de mim, os nossos filhos não verão o futuro que esperam e o Criador me enterrará no oceano do Universo, lacrimejante e descontente.

Eu sou a Terra…

Autor Bessa de Carvalho

Direitos autorais reservados a Bessa de Carvalho

Tu em minha vida

Posted on

Tu me agradas ao peregrinar nos meus sonhos,

Te agachas e pegas a begônia no vasinho ao chão,

Percebes o aroma que exala a flor sem cerimônia

E envolve-me em êxtase o terno coração.

Plantas mudas de jasmins no meu jardim,

Desejas que nasçam brancas e amarelas

E com o aroma perfumado me façam

A essência das cores na aquarela.

Queres transformar os meus sonhos em tua vida,

Desejas dos meus pensamentos seres a musa,

Buscas o tempo todo nos momentos,

Seres única em meu amor, minha querida.

Quando acordo não estás mais presente,

Ficastes à noite toda nos sonhos comigo,

Percebo que és a realidade de alguém carente,

Que busca contíguo o aquecer de um abrigo.

Autor Bessa de Carvalho

Direitos autorais reservados a Bessa de Carvalho

Tom de Vermelho

Posted on

São lindas as rosas quando ilustradas

E nos versos em prosas cantadas,

Rosas brancas, amarelas e vermelhas,

Brotam ao longo das estradas.

Quando beijas, a marca se assemelha,

Às rosas com as pétalas avermelhadas

E no chão cai a pétala mais vermelha,

Parecida com a tua boca encarnada.

Se envergonham as rosas ao teu caminhar,

Destas que despontam na primavera

E decantadas nas janelas a enfeitar,

Se enrubescem ao lhe servir de passarela.

Assim tu disputas com a beleza das rosas,

Espaço no jardim de encantos

E as rosetas que ainda serão rosas,

Ao teu passar, se derramam em prantos.

Autor Bessa de Carvalho

Direitos Autorais reservados a Bessa de Carvalho

O Sabor do Amor

Posted on

O perfume em tua pele morena,

Exala as múltiplas cores do teu coração

E revela em segredo a boca pequena,

A beijar-me, amor, em sensível emoção.

Tudo em tu me fascina,

Rasga-me o peito e deixa-me apaixonado,

Eleva-me aos sonhos e me descortina

Faz-me sentir ser seu escravo.

Não renegues o teu amor e tal pureza,

Pois ele me alimenta enfim,

Guarde em potes de amora a tua beleza,

Vou fazê-la em compotas para mim.

Nos teus sentimentos bem guardados,

Descubro aos poucos quais são os segredos,

Mesmo assim encobertados,

Revelam-se aos meus lábios em poucos beijos.

Autor Bessa de Carvalho

Direitos autorais reservados a Bessa de Carvalho

Maria Santa

Posted on

Aos pés da Maria santa

Curvo-me com minha fé,

Imploro o seu perdão

E tenho no coração

A fé da Santa mulher.

Mãe que compreende os erros do passado

E ajuda os infelizes arrependidos,

De joelhos e miseráveis como mendigos,

Não tem mais no céu a moradia.

Na angustia do pecador desesperado

Peço a Deus o perdão em agonia,

Sabedor que cedo ou tarde ou outro dia,

Encontrar-me-ei com Santa mãe, Maria .

Neste tempo a consciência atormentada

Nos sentidos agora equilibrados,

Vindo todos estes do passado,

Busca o arrependimento benfeitor.

Ela, mãe santíssima bem presente,

Afaga-me os cabelos com amor

Na busca de sensibilizar este coitado,

Em falta com as Leis do Criador.

Assim rejeito o aprendizado a todo instante,

Não compreendendo ainda quem sou

E muito menos a mensagem recebida,

Mas sei que amarei para sempre em minha vida,

A Santa mãe, mãe Santa do Senhor.

Autor Bessa de Carvalho

Direitos autorais reservados a Bessa de Carvalho

Devaneios

Posted on

Dama nobre que desperta os sentimentos n’alma,

Deste humilde poeta a viver tristonho,

Não me deixes perder em teu corpo a calma,

Neste intenso, estimulante e divago sonho.

Como é bom conviver com o teu sorriso,

Misturar o meu corpo ao calor do teu

E sentir o sabor desses teus lábios,

Se envolvendo totalmente junto aos meus.

Arroje-se em intenso devaneio

E explore de verdade este corpo probo,

Chegue demonstrando para o que veio

Fazendo deste cordeiro novamente um lobo.

Autor Bessa de Carvalho

Direitos autorais reservados a Bessa de Carvalho