A tristeza que sombreia o meu rosto,

é a mesma que ne lança em desgosto por não conseguir falar.

É esta que açoita e que a noite afoita, 

vem e não me faz te procurar.

Não me iludas com o teu olhar carente,

que diz p’ra toda gente que bem me quer.

Fale para mim a verdade,

que por mais doída que seja, é o diferencial

de uma grande mulher.

Quero-te sempre amada, 

mas quando estás na escuridão 

o nosso amor é impossível.

Quando uma alma se eleva e a outra se entrega ao desagrado,

é o caminho desesperado para uma dor terrível.

Dei-me a tua mão generosa, 

que vez por outra graciosa aperta a minha com amor.

Seja para mim o mar sereno, o tapete de estrelas no céu 

e para ti sempre serei, a colmeia que guarda o teu mel.

***

Autor Bessa de Carvalho 

Direitos autorais reservados a Bessa de Carvalho 

Leave a Comment on Abelha Rainha

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *