Em meio ao silêncio me desnudo
dos sentimentos que me aprisionam
e os pulsares de um coração mudo,
melancólicos me emocionam.

É o sinônimo da saudade que me resta
quando um amor se foi pelo caminho
da morte famigerada que liberta
das algemas, das amarras, dos espinhos.

A rosa se arroja pelo ar
entre outras que ainda não nasceram
no final do ramo a respirar
o sabor dos ventos de Janeiro.

Em meio ao silêncio não recuso
o sentimento de amor que me restou,
silencio os sentidos… fico mudo,
a saudade é o tanto que ficou.

Autor Bessa de Carvalho

Direitos autorais reservados à Bessa de Carvalho

Leave a Comment on A Prece

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *