Depois do almoço sentado à mesa,

fitava com os olhos abaixados,

aquela formiga afoita e acesa,

a buscar os restos do meu assado.

*

Agitada e sem pestanejar

corre a danada com o pedaço de carne,

pelas frechas da mesa a escorregar,

após fazer um preciso descarne.

*

Foge a famigerada formiga,

largando o osso no prato,

pego a colher e caço a maligna,

tentando acertá-la de rastro.

*

Ela acelera desesperada,

corro feito um louco atrás da bandida,

tento novamente acertar a malvada,

mas salta em um buraco aquela formiga.

*

Fico aguardando ela voltar,

penso que agora não vai me iludir,

mas ela consegue enfim me enganar

e rouba mais carne e começa a fugir.

*

Depois do almoço sentado à mesa,

vejo a formiga os restos da carne levar,

desisto da luta contra a natureza

levanto-me e volto a trabalhar.

*

Autor Bessa de Carvalho

Direitos autorais reservados a Bessa de Carvalho

Leave a Comment on A Formiga

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *