Pesadelo sem fim


Durmo em um ritmo quase ilusório, 

Viajo sobre os campos de luz, 

Sinto a impressão astral da minha cruz 

Como a caminhar para um velório. 

O peso me faz sentir intensa dor, 

Enfrento os ventos bravos do mar 

E nuvens pesadas a voejar 

Cobrem-me sombreando-me de horror. 

Este pesadelo sem fim, 

Atormenta-me por horas a fio, 

O suor escorre por todo o corpo 

E sinto um intenso calafrio. 

Doce anjo das ilusões, voa bem longe de mim, 

Que suas asas negras não me alcancem aonde estou, 

Deixe-me acordar desse sonho pesado, 

Pois nem mesmo sei, quem mais eu sou. 

Reviro-me na cama a convulsionar, 

Por algum tempo assim me enrolo, 

Rolo para lá e para cá, rolo, 

Abro os olhos e vejo o despertar! 

Autor Bessa de Carvalho

Direitos autorais reservados a Bessa de Carvalho

Leave a Comment

error: Content is protected !!