Alvorada


Paira a luz sobre a jovem enfraquecida,

Pela doença a força vital é retirada,

A família ora em desespero para a amada

Filha que se despede desta vida.

Pobre moça de consistência jovial

E agora com a face bem envelhecida,

Vê um anjo de candura especial,

Estendo-lhe a mão enobrecida.

Dorme o seu corpo para o mundo,

Ela serena alma gentil é amparada,

Pelo amigo espiritual oriundo

Da celeste cidade venerada.

Choram os parentes na agonia

E a libélula alça voo à morada

Não sabiam que ela alma já sorria,

A Jesus anunciando a alvorada.

Autor Bessa de Carvalho

Direitos autorais reservados a Bessa de Carvalho

Leave a Comment

error: Content is protected !!