Jamile a Árabe


Moça com o corpo sensual,

Mexe as curvas insistentemente,

Num remexer sinuoso e ardente

Dançando para o público geral. 

Ganha as notas esverdeadas

De cunho comercial

Em apenas uma noite

No comércio musical. 

Migrante de Dubai

Veio parar em Sampa,

Triste destino sem mãe e pai,

Vivia à noite na rampa. 

Era a dançarina mais bem paga

Da boate Rosacruz,

Árabe de nascença

Brilhava no escuro sob a luz. 

Sua dança a todos encantava,

Mas por dentro uma dor sombria

Matava a sua alma e o corpo matava

A esperança numa vida vazia. 

Certo dia correndo tropeça

Em um homem alto e moreno,

Migrante vindo da Persa

Portando o coração sereno. 

Os dois se entreolharam em contento,

A jovem não sentia mais pressa,

Sua alma queimava fogo intenso

E o homem ofereceu-lhe promessas. 

Assim nasceu um grande amor,

Jamile e Darius se amaramViveram por anos a fio,

Vendendo esfirra no bairro. 

Autor Bessa de Carvalho 

Direitos autorais reservados a Bessa de Carvalho

6 thoughts on “Jamile a Árabe

  1. É muito gratificante poder apreciar seu belo trabalho. Seus textos são ótimos amigo.

    Gratidão!🌹🙏

Leave a Comment

error: Content is protected !!