Mãe eu volto!


Mãe, quando desta vida parti

e levantei o corpo do madeiro,

lembrei-me do amor verdadeiro

que intensamente contigo vivi.

Não olhei nem para atrás,

pois somente boas lembranças carregava,

segui a luz que ao meu rosto iluminava

o tanto de vida que se esvaiu e não volta mais.

Ao passar pelo nosso jardim

vi as flores que adornavam o tempo,

balançavam indo e vindo pelo vento,

escrevendo a história que vivi.

Obrigado mãe querida pelo seu amor,

das muitas vezes que conversou comigo

nas horas difíceis do desabrigo,

os lamentos sempre me consolou.

Segui em frente mais uma vez,

rumo ao mar que tanto amava,

me abaixei passando a mão pelas águas

e senti a sua total fluidez.

Mas a luz voltou-se para mim

e atraiu-me como o sol da manhã,

envolveu-me como perfume de maçã

e o sentir da esperança sem fim.

Conte nos anos um, dois, três,

saiba que retornarei para ti um dia,

entrarei em casa com muita alegria,

no dia das mães outra vez.

Autor Bessa de Carvalho

Direitos autorais reservados a Bessa de Carvalho

Leave a Comment

error: Content is protected !!