No Silêncio

Sinto o silêncio no pensamento vazio
a acordar a alma aquieta e solitária,
ouvindo um chamado bondoso e gentil
de voz inconsciente e primária.

Contemplo as roseiras em seu emaranhado,
ausculto o vento cavalgar como alazão,
embaciado pelos olhos marejados
no perfume das flores em minhas mãos.

Observo das rosas vívidas,
pétalas a espalhar-se ao solo,
sentado percebo a essência mítica
ao caírem tênue em meu colo.

Banha-me todos os sentimentos,
o orvalho do luar enegrecido
e no silêncio do singelo momento
percebo o amor não percebido.

Autor Bessa de Carvalho

Direitos autorais reservados a Bessa de Carvalho

Leave a Comment

error: Content is protected !!