Poetisa

De tanta poesia ela se embebecia
como vinho a levar-lhe a loucura,
os textos de intensa ternura
disputavam as letras da emoção

de escrever palavras com sabedoria,
amor, afeto e às vezes a solidão
chamava-a para fazer travessuras
com as palavras mais íntimas do coração.

Não deixava a mágoa assentar
nas terras do desconhecido,
desejava escrever a todos os queridos
sentimentos harmônicos com devoção.

Reconhecida por vários escritores,
artesã das letras, do solfejo, da musicalidade
e dos poemas tecidos para muitos amores,
era o perfeito perfil da liberdade;

esta, que almejam os autores,
artesões da arte da escrita
e o desejo de possuir o dom das multicores
de escrever os versos de maneira tão bonita.

Ela, a mulher de muitos amantes, senhores
dos corações de mulheres aflitas,
senhoras medrosas de perderem os seus amores
para as poesias da apimentada poetisa,

desejava apenas na profundeza da alma,
sentir que cada poesia escrita,
inspirasse nos casais a calma
de encontrar no amor a paz bendita.

Autor Bessa de Carvalho

Direitos autorais reservados à Bessa de Carvalho

Leave a Comment

error: Content is protected !!